Polícia apura tortura a menina de 16 anos, divulgada na rede social: ‘Não deixei marca nenhuma, sou besta não"

Friday 16 April 6292 Shares

Polícia apura tortura a menina de 16 anos, divulgada na rede social: ‘Não deixei marca nenhuma, sou besta não

A Polícia Civil apura um suposto caso de tortura, envolvendo a menina Ana Carolina Alves Garcia de 16 anos e o jovem Leandro Santos de Amaral de 36 anos, no bairro Guanandi, região sul de Campo Grande. De acordo com a irmã da vítima, o caso ocorreu no início desta semana e ela ficou sabendo após receber prints das agressões, de um aplicativo chamado “messenger”.
Ao G1 o delegado Fábio Luiz, da Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij), disse que os policiais fazem diligências, neste momento, para levar os pais da vítima até a delegacia e também identificar o jovem envolvido.
Entre as conversas, o agressor diz “Eu não deixei marca nenhuma, sou besta não…eu só bati nela, porque ela falou pra mim: demorô”.
A irmã da adolescente, Manuela Alves garcia, comentou que ficou “muito preocupada”, assim que começou a receber os prints. Na ocasião, o Agressor. “Ela saiu de casa às 6h30 [de MS] ela e o Agressor fizeram chamada de vídeo e outras pessoas que eu conheço mandaram os prints. Minha irmã ficou sendo torturada por 2h30 e fizeram imagens por chamada de vídeo também. Se eu não tivesse ido atrás, minha irmã poderia estar morta agora”, lamentou. A adolescente foi internada na Santa Casa, por conta dos ferimentos e já teve alta médica, segundo a família.

loading Biewty

Recommended

loading Biewty 3